Blog

Placas de rotas de fuga representam uma das mais importantes sinalizações de emergência

Na sinalização de emergência, dentre as placas que são imprescindíveis para garantir a segurança nos diversos ambientes, estão as placas de rotas de fuga.

A finalidade da sinalização de emergência no geral é garantir a informação e o direcionamento das pessoas nos locais, prevenindo acidentes como incêndio. Mas no caso da ocorrência de problemas como esse, é de suma importância que haja a indicação de ações apropriadas de combate ao incêndio e de ações que devem ser tomadas para garantir a segurança de todos.

Ralph Chezzi, da Bump Comunicação Visual, alerta sobre a importância do cumprimento da NBR 13.434, que tem como finalidade garantir que o espaço esteja devidamente equipado para oferecer segurança a todos:

“Todas as empresas, independentemente do segmento em que atuam, precisam se atentar à sinalização de incêndio, que engloba as placas de rotas de saída. Há leis de sinalização de emergência para edificações, situações laborais ou estrutura física”, acrescenta.

É fundamental que todas as empresas se preocupem com a sinalização de incêndio e com as placas de segurança como as placas que indicam a saída, saída de emergência, placas de rota de fuga, entre outras.

Leia: Placas para hidrante – Conheça as regras desse tipo de sinalização de emergência

Sinalização de emergência precisa ser definida de maneira estratégica no local

Todo o trabalho de implantação da sinalização de emergência deve ser realizado com prévia avaliação do local e de acordo com as características que possui. Além disso, há diferentes materiais (acrílico, PVC, alumínio, entre outros), que podem ser utilizados para a fabricação desses produtos e, dependendo do local, essa escolha também precisa ser estratégica.

Para respeitar a regulamentação do Corpo de Bombeiros, é imprescindível que se respeite a obrigatoriedade da utilização de setas e placas com o recurso fotoluminescente. Os tipos de setas na sinalização de emergência são: setas de extintores, setas de hidrante e setas de rota de fuga ou saída de emergência.

Na sinalização de emergência, há dois grupos:

Sinalização básica

Essa, como o próprio nome indica é o mínimo da sinalização obrigatória que todos os locais (estabelecimentos) precisam ter. Compõem a sinalização básica: proibição; alerta; orientação e salvamento e equipamentos.

sinalização ou alerta de proibição tem a finalidade de proibir ações que possam causar ou agravar o incêndio.

sinalização de alerta tem a função de indicar as áreas e materiais que apresentam alto risco de incêndio, assim como explosões, choques elétricos e contaminação por produtos.

sinalização de orientação e salvamento está presente nas placas de rotas de fuga e de saída.

sinalização de equipamentos tem o papel de indicar a localização e os tipos de equipamentos de combate a incêndio, assim como o de indicar os alarmes.

Sinalização complementar

A ideia desse tipo de sinalização é “complementar” a sinalização básica, diminuindo os riscos nos ambientes.

As rotas de fuga, alerta de obstáculos no caminho, sinalização de sistemas hidráulicos (de combate a incêndio), entre outros, fazem parte da sinalização complementar.

“Não se pode escolher apenas um grupo de sinalização de emergência. Tanto a sinalização básica, quanto a complementar são fundamentais para garantir a segurança e estão na regulamentação que precisa ser seguida pelos estabelecimentos”, explica Chezzi.

As rotas de saída são as responsáveis por indicar o trajeto completo por meio das placas de rotas de fuga até a saída de emergência, o que também pode ser chamado de indicação continuada.

sinalização de obstáculos indica os obstáculos na rota de fuga, como pilares, desníveis, degraus, arestas de paredes, entre outros.

sinalização de sistemas hidráulicos indica a presença de tubulações fixas e de acessórios específicos referentes ao sistema de hidrantes e chuveiros automáticos.

Papel da sinalização de rota de fuga

A rota de fuga é composta por uma sequência de placas com o objetivo de guiar as pessoas em um caso de emergência. Em casos de incêndio, por exemplo, é comum que falte a luz, nesse caso, o recurso das placas fotoluminescentes é fundamental.

As placas de rotas de fuga e todas as demais placas de sinalização de emergência precisam estar visíveis a todas as pessoas, ter setas bem posicionadas e conter descrição com indicativo claro para onde levam.

“Outra questão importante no momento de pensar na sinalização de emergência é que é preciso também atender às normas de acessibilidade, planejando o acesso a rampas no caso de cadeirantes e a inscrição em braile para orientar os deficientes visuais”, finaliza Chezzi.