Blog

Importância das placas de sinalização de emergência – Fique por dentro

placas de sinalização de emergência

As placas de sinalização de emergência são imprescindíveis em qualquer ambiente, de qualquer segmento, porque a finalidade desses recursos de sinalização é garantir a segurança de todas as pessoas no local e em caso de acidente, evitar que o transtorno seja ainda maior.

Ralph Chezzi, responsável pela Bump, também especializada na fabricação de placas de sinalização de emergência, explica que essa é uma regra segundo a norma regulamentadora NBR 13434:

“A principal finalidade dessa NBR é padronizar as formas, dimensões e cores que são utilizadas na sinalização de segurança contra incêndio e pânico nas edificações. É uma maneira de reforçar as normas de segurança nos locais”, acrescenta.

Confira: Placas de sinalização para construção civil são fundamentais para garantir a segurança no local

Particularidades das placas de sinalização de emergência

Segundo a NBR 13434, a sinalização precisa contar com:

Cor de contraste – Que tem a finalidade de fazer com que a cor da sinalização de segurança sobressaia;

Cor de segurança – É a cor que simboliza o significado específico da sinalização.

A sinalização de segurança, segundo as normas, deve transmitir uma mensagem de segurança, que se utiliza de cor combinada a uma forma geométrica. Essa junção resulta em uma mensagem específica, que deve ser compreendida claramente por aqueles que se deparam com a sinalização.

A maioria dos códigos do Corpo de Bombeiros, nos estados brasileiros, frisa a importância da sinalização básica de segurança, que compõe:

Proibição – a sinalização de proibição, como o próprio nome sugere, tem a finalidade de proibir e coibir ações que podem gerar como consequência incêndio ou o seu agravamento;

Alerta – com a finalidade de alertar para áreas e materiais que apresentam potencial risco de incêndio, explosão, choques elétricos e contaminação por produtos perigosos;

Orientação e Salvamento – O objetivo é indicar as rotas de saída e as ações que devem ser tomadas para o seu acesso;

Equipamentos – Nas placas de sinalização de emergência é fundamental que as sinalizações referentes à localização e tipos de equipamentos de combate a incêndio e alarmes estejam visíveis e claras;

Sinalização complementar – Fazem parte desse tipo de sinalização as faixas de cor ou mensagens que complementam a sinalização básica.

“Uma das finalidades da sinalização complementar é, por exemplo, a indicação continuada das rotas de saída, que sinalizam o trajeto que deve ser percorrido por meio das rotas de fuga até às saídas de emergência”, explica Chezzi.

As placas de sinalização de segurança devem estar presentes em todas as edificações e áreas de risco.

Dentre as principais sinalizações estão: indicação de rotas de fuga, placas de bombeiro, uso de equipamentos como extintor e mangueira, medidas de salvamento, entre outras.

As placas de sinalização para bombeiro, por exemplo, é um recurso de sinalização que utiliza um adesivo fotoluminescente que tem a finalidade de auxiliar o corpo de bombeiros a localizar prontamente os equipamentos para o combate ao incêndio na edificação, como extintor, hidrante e mangueira de água.

Leia também: Sinalização de emergência NBR – Toda empresa precisa? Confira as regras

Além disso, as sinalizações de rota de fuga e saídas de emergência também ajudam os profissionais do corpo de bombeiros em casos de acidentes no local.

Há alguns requisitos para fixação das placas de sinalização de emergência, dentre eles, é fundamental que estejam destacadas no local dentre as demais placas e que não sejam “invalidadas” visualmente por conta da decoração ou das cores das paredes, por exemplo. Os corredores são os locais de maior circulação em que geralmente essas placas estão localizadas.

“Outra particularidade das placas de sinalização de emergência é que precisam ser produzidas com materiais fotoluminescentes, com materiais resistentes e que não gerem irregularidades no produto”, esclarece Chezzi.

A falta de sinalização de emergência nas edificações pode gerar multas e penalizações que variam de acordo com o grau de periculosidade a que o local está exposto.